• Início
  • Blog
  • Combustíveis: por que o diesel é mais barato que a gasolina?

Combustíveis: por que o diesel é mais barato que a gasolina?

Os combustíveis mais comuns no mercado brasileiro são o etanol hidratado, o óleo diesel e a gasolina. Enquanto o primeiro tem origem vegetal e é obtido a partir da cana de açúcar, os dois últimos são de origem fóssil.

Apesar de ambos serem derivados do petróleo, historicamente, o óleo diesel é vendido por um preço inferior ao da gasolina.

Diversos são os fatores que influenciam o preço final destes produtos.

Aspectos como o preço do barril de petróleo no mercado internacional, a maneira como ocorre o abastecimento interno, além da tributação, são relevantes para definir o valor do litro de cada combustível.

Mas, afinal, porque o diesel é mais barato que a gasolina?

Basicamente, porque a demanda de consumo é menor e sobre ele incide uma porcentagem menor de impostos e tributos.

Continue a leitura deste artigo e entenda detalhadamente os fatores que determinam o desequilíbrio nos preços entre os dois combustíveis mais populares no Brasil.

Os tributos que incidem sobre o diesel são menores

Uma das questões determinantes para que o preço do diesel seja menor que o da gasolina, está nas proporções dos impostos cobrados sobre cada um deles. Em 2001, o governo brasileiro criou a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico, também conhecida por Cide-Combustíveis. Essa arrecadação tem por objetivo o investimento na infraestrutura de transporte e o apoio a projetos ambientais ligados às indústrias de gás e petróleo. Desde então, foram estabelecidas as diretrizes para a tributação dos combustíveis no mercado interno. Atualmente, os tributos federais são cobrados nas seguintes proporções: 9% do preço final do diesel e 15% do preço final da gasolina. A maior carga tributária, no entanto, acontece no nível estadual, com a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que, segundo dados da Petrobras, corresponde a 15% do preço final do diesel e a 29% do preço final da gasolina. Ou seja, de maneira prática, a cada R $10,00 utilizados para adquirir gasolina, R$4,40 são referentes aos impostos cobrados. No caso do óleo diesel, essa relação é de R$2,40 de impostos a cada R$10,00 gastos.

Aumento no diesel x Impacto sobre a cadeia de produção

Quando falamos de uma tributação menor sobre o óleo diesel em relação à gasolina, é preciso considerar o papel estratégico que o combustível tem na cadeia de produção nacional. No Brasil, o principal meio de transporte utilizado para transportar cargas é o rodoviário, o que também acaba por encarecer o preço final de muitos produtos, considerando que este não é o meio mais viável do ponto de vista econômico. Neste contexto, o país é extremamente dependente de ônibus e caminhões para que esse sistema de logística aconteça de maneira eficaz. Sendo o diesel o combustível utilizado em veículos pesados, um aumento expressivo no preço deste produto teria grande impacto na cadeia produtiva, produzindo prejuízos em efeito cascata, com reflexos até mesmo na taxa de inflação.

Lei da Oferta e da Demanda

Como dito anteriormente, o óleo diesel é utilizado em veículos grandes e pesados, como caminhões, carretas, ônibus etc. A legislação brasileira proíbe a comercialização de carros de passeio com motorização a diesel. Somente alguns modelos de caminhonetes e jipes que utilizam esse combustível são permitidos. Assim, o restante da frota nacional fica obrigado a consumir a gasolina ou o etanol hidratado, razão pela qual a gasolina comum é o combustível mais consumido no Brasil. Pela lei clássica da economia – a Lei da Oferta e da Demanda – que determina o funcionamento dos mercados, quanto maior a procura por um produto, maior o preço cobrado por ele. No caso da gasolina essa relação tende ao desequilíbrio, uma vez que a oferta do produto depende de um recurso não renovável, o petróleo, que está cada vez mais escasso. Portanto, se o petróleo no mundo diminuir drasticamente ou até acabar em definitivo, a oferta ficará baixíssima e a demanda permanecerá alta, o que pela lógica de mercado, levaria o já salgado preço da gasolina às alturas. Esses são basicamente os dois aspectos que produzem a diferença nos preços finais do diesel e da gasolina. Até que cheguem aos postos ou às distribuidoras há ainda outros pontos que contribuem para a oscilação dos preços, como o preço do barril de petróleo no mercado internacional. Há algum tempo o Brasil optou por importar o produto e, dessa forma, passou a pagar em dólar, o que fatalmente encareceu para o consumidor final. Apesar disso, não podemos considerar o preço do petróleo como fator determinante na diferença entre diesel e gasolina, considerando que ambos derivam da matéria-prima, embora em composições diferentes. Gostou do conteúdo? Então acesse o nosso site e saiba tudo sobre óleo diesel!

Ver Comentários
PREENCHA OS DADOS ABAIXO
PARA SOLICITAR SEU ORÇAMENTO